Se aventurando no show

     Quem já foi fã sabe como é sentir esse amor fantástico e lindo, é inexplicável! Eu sou fã de muitos artistas hoje em dia, e vou compartilhar com vocês alguns momentos que lembrarei pra sempre, e
alguns não muito felizes, mas são historias que quero contar até o ultimo dia da minha vida com emoção e o brilho fanático no olhar.

      A primeira historia (até parece que são muitas) foi sem duvidas á mais louca, triste e feliz ao messo tempo. Como diz o titulo "se aventurando no show" e foi bem isso mesmo. Isso aconteceu na turnê de despedida do RBD no show do Rio de Janeiro dia 28 de Novembro de 2008. Antes de começar 2 fotinhos do show que eu tirei.


    Tudo começou quando cheguei lá, acho que era umas 6h da manhã e estava uma confusão sem fim de filas, ate que resolveram abrir pra gente ficar dentro da grade e nessa hora meu pai tava lá na frente perto da grade ai ele voltou correndo "abriu lá, corre" e furei maior fila (não foi só eu, foi muita gente), fiquei na frente de umas meninas que chegaram ás 20:00h do dia anterior e elas já ficaram de cara feia pra mim, mas fiquei ali firme e forte, ate que chegou uma amiga minha e pulou a grade pra entrar comigo, ai quase foi pancadaria, as meninas se irritaram e praticamente expulsaram minha amiga e assim o dia foi passando...
Já perto de abrir o portão chegou uma amiga minha que não é da capital, era uma amizade virtual mas que já havia conhecido no show anterior do RBD, e como a grade estava apertada demais pulei de lá e foi ficar com ela, a irmã e mais um amigo dela, mas fora da fila e quando o portão abriu demos as mãos e o amigo dela foi abrindo caminho e furamos fila demais (fiquei perto das meninas que estava antes de sair da grade) e ai na correria pra entrar chutei o pé da minha amiga, um tempo depois fiquei cansada demais (era muita rampa pra chegar na vip) e falei pra minha amiga e a irmã irem sem mim, segundos depois olhei  meu pé e meu dedinho (o do lado do menorzinho) estava torto, sim senhoritas eu tinha quebrado meu dedo do pé, mas não tava com dor. Cheguei na pista vip completamente sozinha, liguei pras minhas amigas e elas estavam na grade (era complicado sair de lá), ai fui pra enfermaria já pensando "meu Deus me ajuda, vou perder o ultimo show da minha banda favorita", chegou lá (me mandaram pra enfermaria do lado do corredor do camarim, quase morri) o enfermeiro olhou o pé, deu um esparadrapo na minha mão e falou "imobiliza", sai com o esparadrapo na mão, sentei na lanchonete pedi uma água e só conseguia chorar, ai liguei pros meus pais e contei tudo (nem preciso dizer que eles quassem morreram do coração de preocupação, né?!), e eles conversaram com os seguranças e entraram, chegando lá voltaram comigo pra enfermaria e "exigiram" que o medico me atendesse, e assim foi feito, o médico atendeu, imobilizou com o esparadrapo e eu não parava de chorar, ai me perguntaram "tá doendo?" e eu "não, é que tou com medo de não ver o show", mas o medico me liberou.
      Chegando na entrada das pistas minha mãe queria ficar comigo na pista comum, já que pra ficar lá não tinha que ter a pulseirinha, mas fala sério era o ultimo show da minha banda favorita, ate parece que eu ia ficar na pista comum longe do palco, falei pra ela "mãe, eu vou pra vip mas fico no cantinho", ela concordou e lá fui eu, mas claro nada de cantinho, fui parar o mais perto do palco possível e quando percebi só 3 pessoas me separavam do palco, levei muito pisão no pé, pulei muito, gritei muito durante o show de abertura que foi do Pee Wee (bem gatito) e no do RBD mais ainda, me acabei literalmente.      
       Mas esse dia de emoções não terminou ai, sai do show no finalzinho da ultima música, antes deles saírem do palco pra evitar o tumulto e quem encontro na saída?! A minha amiga (aquela que o tênis assassinou meu dedinho) com a irmã e elas falaram "vamos atras da van" e lá fui eu, sem voz, acabada, com o dedo do pé quebrado mas correndo dos seguranças pra tentar chegar na van antes deles, infelizmente não deu certo, mas pelo menos a gente viu a van deles sair e se divertiu dando olé nos seguranças.

      Quanto ao dedinho, 2 dias depois tinha ortopedista no hospital e lá fui eu, ele falou pra mim "pensa pelo lado bom, você quebrou o dedinho se divertindo, a maioria que chega aqui com dedo quebrado é porque bateu nos moveis", passei o mês de dezembro todo com meu pé enfaixado. Mas a desgraça do dedinho não acaba ai, o médico imobilizou errado e o dedinho calcificou torto, o resultado desse erro médico?! Não posso usar calçado fechado nem salto (mas são os calçados que mais uso) que quando tiro sinto muita dor, e a ortopedista da minha vó me avisou uma vez que tava com muita dor "não adianta, você vai fazer fisioterapia, vai melhorar, mas sempre vai inflamar de novo" e depois de tentar três vezes fisioterapia e ouvir isso cheguei a uma conclusão bem simples, desisto! Agora convivo com a dor eterna no dedinho, meu dedinho é torto, mas se me perguntarem se faria de novo respondo "sim" sem pensar duas vezes, foi um dia incrível  vi meus ídolos de pertinho e isso que importa. O dedo quando ficar velha vou sofrer de dor em tudo quanto é lugar mesmo, bom que me acostumo desde cedo .

     Bom girls, essa foi a primeira historinha real que compartilho com vocês, em breve posto mais, não só de shows, mas de outras coisas, como o dia que ganhei ingresso pro Rock in Rio. Se vocês tiverem alguma historia legal mandem um e-mail com a historia, o nome, twitter e blog para blog.girlsworld@hotmail.com  

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário